Blog


Veja o que esperar da agricultura 4.0 para um futuro bem próximo

18/03/2019 Fonte:

https://www.youtube.com/watch?v=-97VWnTMtyA

Aconteceu nesta quarta-feira, dia 13, na Expodireto Cotrijal, realizada em Não-Me-Toque (RS), o talk show Agricultura 4.0 e os Impactos da Digitalização no Campo. O encontro reuniu produtores rurais, lideranças e especialistas em agronegócio.

A apresentação é do engenheiro agrônomo e jornalista Donário Lopes de Almeida, colunista do AgEvolution. O evento também contou com a participação do gestor da divisão de Estudos Avançados e Inovação do Senar-RS, Marcelo Camardelli; e do diretor de vendas da Massey Ferguson e da Valtra para a América do Sul, Rodrigo Junqueira. No vídeo acima, você pode conferir o evento na íntegra.

Para dar início a esse bate-papo, Donário falou sobre o que tem pesquisado nos últimos anos em viagens que fez para países como EUA, Israel e China. “O agronegócio precisa estar atento aos avanços tecnológicos e as novidades que estão surgindo sobre máquinas e equipamentos”, disse.

Em um vídeo exibido aos convidados, o anfitrião convidou todos a refletirem sobre o futuro da humanidade e a necessidade que temos de dobrar a produção de alimentos nas próximas décadas. Afinal, há 100 anos, a agricultura era feito de maneira manual, com arados. Atualmente, temos máquinas com muita tecnologia e, em um futuro não tão distante, teremos equipamentos cada vez mais autônomos e precisos.

Robôs estarão atuando controlar com precisão plantas daninhas e doenças, com reduções significativas de defensivos em comparação com as aplicações que fazemos hoje. Em fazendas orgânicas, o uso do laser podem controlar daninhas sem nenhum produtos químicos.

Robôs já conseguem coletar amostra de solos e determinar níveis de PH e Fósforo em tempo real. Já existe empresa com  mais de 100 pilotos que sobrevoam fazendas com câmeras de precisão, coletando dados em extensas áreas. Para ampliar ainda mais essa tecnologias, já estão sendo lançados pequenos satélites que farão leituras semanais para monitorar fazendas.

Várias outras empresas estão desenvolvendo softwares de análise de dados para ajudar produtores a gerenciar e processar esse volume gigantesco de dados levantados.

Carne de laboratório

Em 2013, cientistas holandeses apresentaram hambúrgueres feitos por meio do cultivo de células animais. Mais tarde, foi criada uma almôndega de laboratório. Apesar de serem técnicas experimentais e de custo muito elevado, elas estão sendo aprimoradas para um dia chegar ao consumidor, como já falamos aqui no site.

Ainda na pecuária, vacas estão sendo monitoradas por colares inteligentes, que avaliam seu comportamento e movimento, avaliando sua fertilidade. Câmeras com sensores de temperatura já monitoram os úberes das vacas, identificando a possibilidade de surgimento de mastite precocemente.

Câmaras 3-D já estão sendo utilizadas para medir os músculos e determinar o peso e potencial de engorda dos animais. Companhias estão inserindo microfones em criatórios para identificar tosses de suínos e tratando indivíduos nos primeiros sinais de doença, reduzindo o risco de disseminação e de antibióticos.

Na Bélgica, câmeras controlam o movimento de milhares de frangos, analisando o comportamento e antecipando tratamentos.

Mesmo com todo esse avanço, a falta de alimentos para uma população que cresce exponencialmente é fator de preocupação. Para isso, a ciência a nível molecular pode ser a solução para este drama.

Modificação genética

Existem tecnologias que simula a ação de bactérias para a modificação genética. Essa talvez seja a nova fronteira para o desenvolvimento científico e os esforços comerciais estão apenas começando. Atualmente, duas grandes empresas já estão atuando com a tecnologia para a produção de milho, desenvolvendo linhagens resistentes à seca.

No arroz, uma das culturas mais importantes do mundo, estão chegando muito perto da sua capacidade de produção. Diante disso, o projeto C4 está tentando produzir uma nova linhagem de arroz em que o sistema de o que poderia turbinar a sua produção máxima a 50%.

Na pecuária, a genética vem sendo objeto de linhagens imunes a doenças que causam perdas milionárias a produtores ao redor do mundo.

É difícil prever quais dessas tecnologias serão mais impactantes na produção de alimentos, então, devemos manter o trabalho nas mais diversas frentes e é isso que estamos fazendo.

https://agevolution.canalrural.com.br/veja-o-que-esperar-da-agricultura-4-0-para-um-futuro-bem-proximo/